Viajantes elegem roteiros dos sonhos - ABRESC

Viajantes elegem roteiros dos sonhos

Turistas experientes de Rio Preto dão dicas de locais que merecem uma visita após a pandemia do coronavírus

Apesar de algumas mudanças na hotelaria já estarem em curso no Brasil e mundo com a inclusão de novos padrões de higiene a novos mecanismos de serviços em geral, muitas coisas ainda podem atrapalhar a próxima viagem. No entanto, é possível sonhar com a próxima aventura. A reportagem entrevistou seis pessoas de Rio Preto que sugeriram destinos que merecem ser visitados quando a pandemia passar. Confira os destinos:

Cabedelo – Paraíba

O diretor e ator Jorge Vermelho, da Companhia Azul Celeste, que morou em Salvador quando atuou como diretor do grupo Federação da Dança, escolheu uma região do Nordeste como destino dos sonhos. Trata-se de Cabedelo, município da região metropolitana de João Pessoa, no estado da Paraíba.

Com um clima tropical e muita beleza natural, o local possui praias calmas e mornas adornadas por coqueirais. “Além da magnífica paisagem, há um bar à beira da praia que, diariamente, põe o ‘Bolero’, de Maurice Ravel, para o sol se pôr. Inesquecível”, afirma Vermelho. O turista ainda deve ir até o local para saborear um quitute da gastronomia local. “O caldo de sururu é maravilhoso.”

Aracaju – Sergipe

O médico-cirurgião, diretor da Faceres e escritor Toufic Anbar Neto, afirma que Aracaju tem muitos atrativos para o turista. “A cidade é um pouco maior do que Rio Preto. É a versão perfeita da nossa cidade com praia. Muito tranquila. O povo acolhedor. A culinária é muito interessante com pratos regionais como carne de sol, pirão de leite, peixes e frutos do mar. O Museu da Gente Sergipana conta a história do Estado.” O que mais surpreendeu o médico foram as praias. “Todas são lindas. Mosqueiro, Robalo, Refúgio e Aruana. As que possuem quiosques são bem preservadas. A praia de Atalaia é urbana e muito bonita também. Possui diversas atrações turísticas como os Arcos e a Passarela do Caranguejo, onde se concentram bares. Outra atração é a Crôa do Goré, praia onde se pratica o surfe de remo.”

Veneza – Itália

Veneza, considerada como um dos destinos mais encantadores e românticos do mundo, merece ser visitada pelos turistas, segundo a professora e escritora Rosalie Gallo y Sanches. Ela esteve na cidade, localizada no nordeste da Itália, no ano passado com um grupo de escritores. “Saímos de lá apenas dois dias antes do tumulto da ‘Acqua alta’, fenômeno que deu início a um período negro não só a essa cidade, mas a todo o país, com a explosão da pandemia ligada ao coronavírus.”

A cidade, que é um dos destinos turísticos mais cobiçados e popular do planeta, está com as águas dos canais costumeiramente turvas e sujas, cristalinas, com direito a peixes nadando. “É para lá que desejo voltar. Parar em uma de suas pontes, alheia ao movimento retomado e, sem pressa, agradecer a Deus todas as bênçãos recebidas, todas as dificuldades superadas, todos os sentimentos que havia armazenado e escondido de mim mesma.”

Cascavel – Ceará

Cascavel, no Ceará, é um ponto turístico muito requisitado por causa de suas praias paradisíacas, tanto para aventureiros quanto para o turista que busca tranquilidade. E é para lá que os turistas devem ir após a pandemia, segundo a reumatologista Angélica de Carvalho. “Escolhi este lugar, porque mesmo existindo vários lugares maravilhosos no exterior, temos que divulgar e privilegiar as nossas maravilhas.” Uma praia que merece ser visitada e a médica pretende voltar para ter mais momentos de tranquilidade é a de Barra Nova. “É uma praia maravilhosa e bem tranquila, onde tem o encontro do mar com um rio. Lá se forma várias piscinas naturais onde você pode nadar e até ficar deitado em uma rede dentro da água.”

Lapônia – Finlândia

A jornalista Chris Rudge Leite, que esteve em março deste ano na Lapônia Finlandesa, uma região que engloba parte do território da Rússia, Finlândia, Noruega e Suécia, indica que os leitores visitem o lugar. “Nunca havia ido a um local com temperaturas tão extremas. Cheguei a pegar 25 graus centígrados negativos, sem sentir frio. O frio por lá é seco e as operadoras de turismo, bem como lojas especializadas, alugam macacões térmicos, botas, luvas, meias, gorros”.

A Finlândia foi dos países menos afetados nesta pandemia, porque tem um sistema de saúde muito eficiente, qualidade de vida excepcional e uma máquina governamental que funciona bem, segundo a jornalista. “Portanto, recomendo a visita. É um país de moeda forte (caro para nós), mas de atrações naturais preservadas, com respeito à natureza. Conhecer uma fazenda de renas, criação milenar do único grupo indígena da Escandinávia, o Sámi, é uma experiência única.” Ela recomenda ainda fazer um passeio em um barco que corta a camada de gelo do mar báltico. “Leva os turistas para outra aventura única: flutuar, com roupa de neoprene, nas águas de temperaturas abaixo de zero.”

Cidades da Polônia

A Polônia com a sua rica história, belas cidades e até mesmo grandes paisagens, merece ser visitada após a pandemia da Covid-19. Quem indica é o jornalista e editor João Paulo Vani. “Das viagens que fiz, e dos países que visitei, o que mais me traz saudade é a Polônia. É incrível a perspectiva e a riqueza de conhecer um lugar que, até 1989 vivia sob o regime de opressão da União Soviética e que, em apenas 15 anos passa a integrar a União Europeia. Essa evolução reflete o desejo do povo, de ser mais, de viver em liberdade, de receber pessoas de todas as partes do mundo.”

No país, segundo ele, a cordialidade é incrível. As pessoas nos recebem em lojas e restaurantes com sorriso no rosto; não se importam de nos ajudar com as escolhas, pois sabem que os turistas não falam polonês, mas transparecem a alegria quando agradecemos na língua deles. Não bastasse o tratamento dispensado, o país é lindo. A Cracóvia é uma cidade encantadora; o zoológico de Varsóvia é uma passeio inesquecível, e as faculdades de Poznan nos fazem refletir ainda mais sobre o poder da educação no destino de um povo. Débora (esposa) e eu estivemos na Polônia no mês de dezembro, e pudemos viver a magia do Natal com ruas enfeitadas, feiras de Natal, culinária típica exalando cores e sabores por todos os lugares.”

Fonte: Diário da Região [leia a matéria completa]