Loading...

Coletivo VULCÃO se debruça sobre feminismo, literatura e questões de gênero nas ações de comemoração de cinco anos

A partir do encontro de cinco artistas, com trajetórias diversas, interessadas em diferentes linguagens artísticas em que o foco é o trabalho do intérprete, nasceu o VULCÃO [criação e pesquisa cênica]. Formado por Elisa Volpatto, Livia Vilela, Paulo Salvetti, Rita Grillo e Vanessa Bruno, o coletivo comemora em maio de 2021 cinco anos, sempre colocando em cena criações autorais.

Para marcar a data desde a estreia do primeiro trabalho conjunto – as encenações simultâneas de dois solos A Dor e Pulso, no palco do Sesc Consolação, em maio de 2016 – serão realizados vários eventos, todos virtuais, que celebram o que passou e apontam o que está sendo preparado.

Vulcão (Foto: Cezar Siqueira)

Parte da programação foi contemplada pela Lei Aldir Blanc (Lei 14.017/2020), Módulo I, Maria Alice Vergueiro, através do Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.

Entre o final de abril e os últimos dias de maio, acontecem atividades com integrantes do VULCÃO [criação e pesquisa cênica] e convidadas, que discutem questões presentes no trabalho do coletivo, como feminismo, literatura e questões de gênero. Também fazem parte da comemoração duas ações ligadas ao processo de uma das próximas encenações, Orlandx (baseado no romance de Virginia Woolf) e a pré-estreia de Rosa Choque (poema cênico musical com dramaturgia de Dione Carlos reunindo atrizes que estão em diferentes cidades).

O VULCÃO [criação e pesquisa cênica] aproxima diferentes linguagens, une teatro, literatura, dança e audiovisual e vê como motor catalisador – principal e determinante – o trabalho do intérprete. O coletivo tem desenvolvido projetos de investigação teatral a partir do deslocamento da literatura para a cena. O coletivo já realizou criações a partir da obra de três grandes autoras do século XX – Clarice Lispector, Sylvia Plath e Marguerite Duras.

A programação começa com uma série de três lives, dias 27, 28 e 29 de abril, terça a quinta-feira, sempre às 20h, no canal de instagram @vulcao.art. Nesses encontros, o tema é feminismo e literatura – tema presente nas peças apresentadas pelo coletivo – em que Vanessa Bruno conversa a cada dia com uma pensadora: a pesquisadora Eliane Fitipaldi, a jornalista Mariana Delfini e a escritora Liliane Prata. O tema dos encontros é Clarice Lispector e sua obra “Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres” (1969) – que deu origem ao espetáculo Águas do Mundo – para uma discussão sobre feminismo e o espaço social da mulher hoje.

Na sexta-feira, 30 de abril, às 20h, será transmitido uma sessão especial de Águas do Mundo, no https://www.youtube.com/user/corporastreado. A atriz e diretora, Vanessa Bruno faz em Águas do Mundo uma atualização cênica do romance “Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres” de Clarice Lispector no qual o público acompanha sua travessia na partilha da solidão, do habitar seu próprio corpo e desejo para ampliar a capacidade de amar sua própria existência de ser mulher e ser humano no mundo. Entre as várias referências míticas que a obra literária faz, tais quais o mito de Eros e Psiqué, a Odisseia de Homero e a ninfa Lorelei da mitologia alemã, a peça explora a reversão do mito bíblico do pecado original e confere à mulher a entrada no Paraíso e descoberta da vida através do prazer. Em dezembro de 2020, seguindo todos os protocolos de segurança impostos pela pandemia da Covid-19, a equipe produziu, num teatro vazio, a transmissão especial online do espetáculo que será exibida.

Outra peça baseada na obra de uma escritora está em processo de construção pelo VULCÃO. “Orlando – uma biografia”, de Virgínia Wolf, lançado em 1928, narra a história do personagem-título, nobre em plena Inglaterra elisabetana, séculos XVI / XVII, que atravessa os anos até o século XX, e que se vê, em um dado momento, misteriosamente transformado em Lady Orlando.

A premissa dá abertura para muitas reflexões e sátiras sobre as construções sociais de gênero, moral, sexualidade e identidade, que serão discutidas pelo VULCÃO [criação e pesquisa cênica] ao compartilhar com o público ações ligadas ao processo de criação de Orlandx, que vem sendo construído em sala de ensaio desde 2017 pelos intérpretes Elisa Volpatto, Paulo Salvetti e pela diretora Vanessa Bruno a partir do romance de Virginia Woolf.

Na sexta-feira, 7 de maio, às 20h, o VULCÃO convida o público a tomar um chá (virtual) no canal de YouTube da Corpo Rastreado. A ideia é os intérpretes fazerem uma leitura online para problematizar a dramaturgia que vem sendo construída em sala de ensaio. Para isso, os integrantes do coletivo recebem as convidadas Carol Pitzer (dramaturga), Britney Federline (maquiadora trans) e Carla Cristina Garcia (socióloga).

A intenção da ação é investigar percepções diante da recepção da versão do texto, para avaliar o tratamento dado aos temas envolvidos neste projeto, como as questões de gênero e sexualidade, do tempo e da historicidade, do humor e da crítica aos valores patriarcais.

Além disso, um encontro que reedita o “jantar pensamento – R U M I N A R”, no qual o público é convidado a discutir se Orlando pode ser considerado queer – em uma tradução livre, o termo designa pessoas fora das normas de gênero, seja pela sua orientação sexual, identidade ou características sexuais. Para participar da discussão duas convidadas especiais: Helena Vieira e Magô Tonhon, no dia 14 de maio, sexta-feira, às 20h, também com transmissão no canal de YouTube da Corpo Rastreado.

R U M I N A R foi desenvolvido pelo coletivo junto com o artista Lucas Pretti e realizado pela primeira vez em setembro de 2018 para reunir pessoas de diversas áreas do conhecimento num jantar que se mistura a um programa performativo (inspirado nas poéticas de Eleonora Fabião). Na impossibilidade dos encontros presenciais, a provocação será feita virtualmente, porém com a mesma vontade de discutir os temas que ajudem na construção do novo espetáculo, Orlandx.

Neste jantar virtual, Elisa Volpatto, Paulo Salvetti e Vanessa Bruno juntam-se à escritora e transfeminista Helena Vieira e à maquiadora e mestre em filosofia Magô Tonhon para pensarem a relação que o romance de Virginia Woolf pode estabelecer com as Teorias Queers. O evento será aberto e transmitido via Youtube, e o público vai poder interagir por meio de perguntas no chat da plataforma. Serão discutidas questões desse corpo ‘desobediente’ da personagem de Virginia Woolf que transgride e rompe as barreiras de comportamento com as convidadas, especialistas em questões de transgêneros e cultura queer.

Na sexta-feira seguinte, 21 de maio, também às 20h, acontece a pré-estreia de Rosa Choque – poema cênico musical virtual com dramaturgia inédita de Dione Carlos, direção Vanessa Bruno. O trabalho faz uma relação entre a história da ativista paquistanesa Malala Yousafzai e as estudantes secundaristas que ocuparam as escolas de todo o Brasil no final de 2015, contra o seu fechamento.

Dione Carlos interligou os dois acontecimentos, influenciada pelo slam poetry (movimento de literatura e resistência que ganhou força no Brasil a partir de 2017). Em maio de 2020, durante o isolamento imposto pela pandemia da Covid-19, a diretora Vanessa Bruno reuniu a equipe formada exclusivamente por mulheres conectando artistas de São Paulo, Brasília, Porto Alegre e Paris e propôs uma vivência de teatro completamente remota, inspirada pela estética do zoom e gravada pelo celular das próprias atrizes, relacionando as ruas das slammers com a janela virtual.

Participam no elenco: Alice Quintiliano, Bia Miranda, Gabriela Rocha, Letícia Calvosa, Lilian Regina, Lisi Andrade, Livia Vilela, Luisa Coelho, Monalisa Silva e Rita Grillo. A transmissão será pelo https://www.youtube.com/user/corporastreado.

Encerrando as comemorações, em 28 de maio, sexta-feira, às 20h, será feita uma live com os propositores Elisa Volpatto, Livia Vilela, Paulo Salvetti, Rita Grillo e Vanessa Bruno – via Instagram (@vulcao.art). Os cinco integrantes rememoram a trajetória do grupo desde 2016, unindo curiosidades e também a reflexão sobre (r)existir nos tempos atuais.

#vulcão5anos

De 27 de abril a 28 de maio de 2021

www.vulcao.art.br/

PROGRAMAÇÃO:

Lives Clarice e Feminismo [incentivo Lei Aldir Blanc]
Transmissão pelo Instagram do Vulcão
Mediação: Vanessa Bruno
27/04, terça-feira, 20h, com Eliane Fitipaldi
28/04, quarta-feira, 20h, com Mariana Delfini
29/04, quinta-feira, 20h, com Liliane Prata

Transmissão da peça Águas do Mundo

interpretação e direção Vanessa Bruno

via Canal de YouTube da Corpo Rastreado

30/04, sexta-feira, 20h
Chá dramatúrgico Orlandx [incentivo Lei Aldir Blanc]

via Canal de YouTube da Corpo Rastreado

07/05, sexta-feira, 20h

Com Elisa Volpatto, Paulo Salvetti e Vanessa Bruno

Convidadas: Britney Federline, Carol Pitzer e Carla Cristina Garcia
R U M I N A R – Orlandx é queer? [incentivo Lei Aldir Blanc]

via Canal de YouTube da Corpo Rastreado

14/05, sexta-feira, 20h

Com Elisa Volpatto, Paulo Salvetti e Vanessa Bruno

Convidadas: Helena Vieira e Magô Tonhon
Pré-lançamento de Rosa Choque

dramaturgia Dione Carlos, direção Vanessa Bruno

via Canal de YouTube da Corpo Rastreado

21/05, sexta-feira, 20h
Live com os propositores VULCÃO

Transmissão pelo Instagram do Vulcão

28/05, sexta-feira, 20h

Com Elisa Volpatto, Livia Vilela, Paulo Salvetti, Rita Grillo e Vanessa Bruno

 

Fonte: Carta Campinas

Coletivo VULCÃO se debruça sobre feminismo, literatura e questões de gênero nas ações de comemoração de cinco anos - Abresc |