Abresc empossa seus primeiros imortais - ABRESC

Abresc empossa seus primeiros imortais

A Abresc foi criada seguindo moldes franceses, com uma estrutura composta de 40 cadeiras

Por: Felipe Nunes

A Academia Brasileira de Escritores (Abresc) realizou na noite de sexta-feira, 29, a cerimônia de outorga de seus primeiros imortais e chanceleres. Foi a primeira cerimônia de posse realizada pela Abresc desde sua fundação em 2011, pelo jornalista e editor João Paulo Vani. “Este é o ponta-pé inicial de uma fase de representatividade. A Academia nasceu com a perspectiva de investir na profissionalização de um setor que é relativamente carente na nossa região”.

A Abresc foi criada seguindo moldes franceses, com uma estrutura composta de 40 cadeiras. Durante a cerimônia, 20 delas foram empossadas. “Este é um trabalho importante feito em Rio Preto que contribui para o desenvolvimento da cultura e da educação, por isso fiquei honrado com o convite”, disse o jornalista e escritor Edward Pimenta, que assumiu uma das cadeiras de imortais.

O educador Diego Mahfouz Faria Lima, um dos finalistas do Global Teacher Prize, também assumiu uma das cadeira da Abresc. “Todos os profissionais que estão sendo homenageados aqui conseguiram, de alguma forma, demonstrar que com o trabalho e dedicação é possível transformarmos a educação brasileira”.

Além dos imortais, foram outorgados 31 chanceleres. Entre eles, dois nomes que colaboram com o Diário, a professora, tradutora e escritora Patrícia Reis Buzzini, do blog Entre Livros e Palavras; e o professor e escritor Toufic Anbar Neto, que publica crônicas no caderno Vida & Arte. Os chanceleres foram escolhidos por serem profissionais que atuam em diferentes áreas, mas que colaborarem na divulgação da arte literária. “Esse evento carrega uma simbologia muito maior do que uma simples outorga de títulos. É a consagração de uma das atividades mais importantes para o desenvolvimento econômico, político e social de uma nação. Todo e qualquer conhecimento só vale a pena se for compartilhado”, disse Patrícia.

A escritora Loreni Fernandez Gutierrez, autora de quatro livros, também foi homenageada. “É uma grande responsabilidade ser escolhida como chanceler das letras da Abresc. Rio Preto merece, a cidade é um berço de cultura de onde já surgiram pessoas talentosas que acreditam no poder de transformação por meio da leitura”.

Fonte: Diário da Região